Seguidores

domingo, 12 de fevereiro de 2012

16° Desafio B.U. Técnicas Artesanais


Patchwork



A proposta de nosso 16º desafio é uma pesquisa sobre as TÉCNICAS ARTESANAIS.

A pesquisa deverá conter: Histórico da técnica, passo-a-passo, imagens de trabalhos utilizando a técnica pesquisada e tudo que a imaginação permitir.


 Esta foi a minha escolha.
 Não que a ache melhor ou mais interessante que  outras, mas simplesmente pela sua história, e pela sua presença na vida dos meus antepassados, desde a técnica mais  rudimentar e simples, até as mais modernas e sofisticadas, o que me despertou encantamento e admiração, não só pelos resultados, como pelas utilidades finais do trabalho.


Bem, como é de meu hábito, sempre que entro num tema, procuro ir a fundo, em respeito aos que me leem, e faço o melhor de mim, para oferecer o meu melhor; e assim mais uma vez, não tem melhor ponto de partida que a origem, e mesmo que não a encontremos, sempre podemos encontrar os mais antigos registros. E da mesma forma, hoje em dia nada mais facil que fazer uma pesquisa, porque podemos  encontrar quase tudo, praticamente pronto, por pessoas que nos anteciparam e deixaram prontinha a coleção de dados.
Então, agradecida por esse pioneiros, vamos a pesquisa! 



Devo informar que encontrei boa parte deste material nos blog de Dona Lira e Camila Guimarães Ribeiro :  www.cpt.com.br.


Vejamos o que lá encontrei:
Patcwork

Definição:
É a  arte de reunir retalhos. Ou a técnica de trabalhar com retalhos.
 Segundo a Wikipédia, Patchwork ou “trabalho remendado” é uma forma de costura que envolve pedaços de tecido em um projeto maior, é geralmente baseada em padrões de repetição construído com diferentes formas coloridas. . Estas formas são cuidadosamente medidas em corte reto, em formas geométricas tornando-os fáceis de montar.
 
  
O conjunto de retalhos, tonalidades, texturas e gravuras são harmonizados numa obra única.
O PatchWork, pode ser feito a mão ou a máquina e frequentemente é acolchoado, num “formato almofadado”, resultado do Quilt.
O patchwork é mais frequentemente usado para fazer colchas, mas também pode ser usado para fazer bolsas, cortinas de parede, jaquetas, saias , coletes e outros itens de vestuário, além de painéis e tudo que sua criatividade permitir.



Alguns artistas têxteis trabalham com patchwork, muitas vezes, combinando-o com bordados, apliques, bolsos e outras formas de acessórios.

História:

Os estudiosos conseguiram encontrar registros tão antigos, que nos remetem antigo Egito, sendo usado pelos faraós, em suas vestimentas e eternizados nas paredes de suas tumbas nas pirâmides. Juntamente com o quilt, que em resumo simples significa unir camadas com agulha e linha, prática que deixava as roupas dos soldados mais aprópriada para enfrentar o frio. Durante a idade média, na Europa, roupas de quilts eram feitas de sobras de tecidos para serem usadas como proteção embaixo das armaduras de ferro., No passado o patchwork era feito principalmente pela necessidade de proteger-se do frio. Devido à “escassez” de tecidos todos os pedaços eram guardados e depois costurados para se fazer cobertas para o frio. Essas cobertas eram forradas com lã de animais para ficarem mais quentes. Pela sua  utilidade, o patchwork e quilt se espalhou por diversos países da Europa como Inglaterra, Alemanha, França e Itália.
E foram os peregrinos, colonizadores dos Estados Unidos, que  quando fugiam da Inglaterra devido a perseguição religiosa, levaram este artesanato para o Novo Mundo.


 Por causa da rigidez machista daquela época,estes colonizadores mantinham suas mulheres sob rígido controle, sendo mantidas contidas dentro de casa e “ incentivadas” a fazer trabalhos manuais para que o “mal” não tivesse espaço em suas mentes. Estas mulheres só tinham permissão para sair de casa em duas ocasiões, para ir a igreja ou para ir às reuniões de quilteiras (quilting bees).
Por ocasião destas reuniões elas faziam colchas, roupas e cortinas de retalhos de sobras de roupas ou mesmo de roupas velhas, por falta de condições financeiras e lugar para adquirirem tecidos.


Colocavam neste trabalho tudo o que lhes iam nos sentimentos, desejos, ambições e pensamentos, até mesmo suas ambições politicas, visto que ainda não tinham voz ativo nesta área.E foi assim, que estas pioneiras ao invez de costurar os retalhos de qualquer jeito as quilteiras pioneiras planejavam e costuravam. Para essas mulheres, esta atividade se tornou além de um método de sobrevivência, uma válvula de escape da rotina do dia a dia, e sua única forma de expressão criativa. As reuniões eram motivo para convidar as amigas e vizinhas para uma boa conversa enquanto as agulhas trabalhavamformando padrões muito artísticos. Para elas, era oportunidade de escapar da rotina, e unica forma de expressar sua criatividade. Naquela época todas as mulheres deveriam fazer 12 quilts antes de se casar (um quilt para cada mês do ano) e só então estariam prontas para casar.


Com a invenção da máquina de  costura doméstica no ano de 1846, ganhava-se assim mais uma importante ferramenta, quando o patchwork e quilt passam a ser feitos tanto a mão como a máquina. E temos aí então durante a Grande Depressão(década de 1930), o renascimento do Patchwork, como uma forma de reciclar roupas usadas em mantas quentes, dando uma nova utilidade a peças desgastadas ou pequenas, muitos materiais são adequadas para o patchwork.
Com o pós guerra, e a crise economica, as mulheres se virão forçadas a sairem de casa em busca de trabalho no comercio, na industria, ficando o patchwork um pouco esquecido neste período, sendo reavivado no período do “Bicentenário Americano” ; E foi na década de 70, com os Hippies que o artesanato ganha força e destaque; vindo para somar, o desenvolvimento de vários acessórios que como a régua, cortadores especiais, se tornaram instrumentos que aliados ao uso da máquina de costura, aceleraram a confecção do patchwork e do quilt, adaptando este trabalho manual ao ritmo de vida de nossos dias.


Além dos acessórios, a industria textil também contribuiu, quando passou a desenvolver estampas especiais para o patcheork, trazendo infintas opções de cores, estampas,o que transformou os tecidos, em uma especie de tinta e os quilts em mais que um artesanato, e sim em uma arte.

Em nossos dias, não são somente os retalhos e sobras que são utilizados, mas podem ser facilmente encontrados, tecidos fabricados especialmente para esse fim.


Podemos encontrar belos quadros emoldurados, cujos pedaços de tecidos, foram escoolhidos com o mesmo cuidado com que o pintor escolhe as cores e piceis.
Ainda no Brasil colonial e mesmo no imperial, esta arte ficou restrita aos escravos, que se utilizavam das sobras de seus senhores, para confeccionar suas proprias vestimentas, e as roupas descartadas dos senhores, para fazer cobertas. Mas, foi somente durante a república, e com a imigração européia de italianos, alemães e posteriormente  os ingleses e americanos que o patchwork passou a ser mais difundido aqui no Brasil.


Tecnicas Mais comuns do Patchwork

O Patchwork é constituído por tres camadas (ou sobreposições) assim dispostas:
        O tampo,- quando os retalhos estão costurados entre si
        O enchimento – o material usado para dar volume ao trabalho de patchwork como no caso, por exemplo, das almofadas.
        O forro – tecido usado para dar um melhor acabamento.
Este sanduíche de tecidos é preso por pespontos que são chamados de quilt.
Os tampos também podem ser feitos de aplicação ou misturando as duas técnicas, patchwork e aplicação.



Os modelos são muito variados, com uma infinidade de técnicas e modelos.
Tecnicas Comumente Usadas no Patchwork
        Quinting: Acolchoado com costuras sobrepostas para formar o aspecto de almofada.
        Bargello: Tiras paralelas organizadas com um desvio, formando um efeito ilusório de degradê de estampas.
        Aplicações: Gravuras recortadas e costuradas sobre uma base.
        Fondation: Utiliza um objeto desenhado na entretela.
        Patchwork associado ao bordado; costuras invisíveis, técnicas de alfaiataria e etc.
        Log Cabin: Inspirado na construção de cabanas de madeira, formando um ângulo de 90graus.

Cuidados básicos no trabalho com o patchwork
Devemos ter vários cuidados com material de trabalho:

Placas de corte e réguas devem ser mantidas sempre em local plano para evitar que empenem, tesouras cortadores devemos guardar em local seguro (principalmente se tiver crianças em casa).


• Moldes, riscos e projetos devem ser guardados em uma pasta para não os perdemos, pois fazemos um trabalho hoje que poderemos querer repetir depois.

• Devemos se possível, anotar em um caderno a quantidade, cor de tecido e técnica usada em um trabalho ou por uma pequena etiqueta no verso do trabalho com os dados da peça.

• Tecidos: de preferencia aos 100% algodão (tricoline é o mais recomendado). Devemos lavar com água e sabão neutro e passar antes de usar. Devemos sempre ter em mãos a quantidade de tecido necessário para o trabalho.

• Podemos usar tecidos lisos, estampados, xadrez, listrados, floral, poás, desenhos geométricos ou o que sua imaginação desejar.

• Linhas próprias para quilt e máquina de costura devem ser 100% algodão.

• Sempre que começar um novo trabalho coloque uma agulha nova na máquina isso evitará pequenos furos (por agulha rombuda), o que poderá comprometer seu trabalho final.

• Quando acabar de fazer uma peça, revise todo o trabalho para, verificar manchas, riscos, linhas sem arrematar e etc...

• Faça um saco de tecido de forro para guardar suas peças. Isso ira conservá-la por mais tempo e irá valorizar seu trabalho caso desejar vender sua peça.

Autora deste PAP 

Passo-a-passo 
Com a mão na massa, ou melhor, no porta-retratos
Aprenda a fazer a capa de retalhos para o seu porta-retrato

O método tradicional começa pela união dos retalhos para depois colocar o acrilon e o forro. (Dica: quando for fazer este processo, passe a peça a cada novo remendo colocado, dobrando a costura para um lado em vez de abrí-la).
Mas a técnica que vamos aprender dispensa o quilt em separado, pois já prende os retalhos com o acrilon e forro. "É um jeito bem mais rápido e fácil de fazer o patchwork", avalia nossa instrutora, a professora de yoga, Graça Mattos. Ela vai mostrar o passo-a-passo de uma capa para porta-retratos e diz que não tem segredo. "Qualquer pessoa pode fazer, basta querer e ter muita paciência", ensina.



 Definição de QUILT.

É este sanduíche de tecidos é preso por pespontos que são chamados de quilt.

Os tampos também podem ser feitos de aplicação ou misturando as duas técnicas, patchwork e aplicação.

Os modelos são infinitos, temos uma infinidade de técnicas e modelos.
Com as técnicas básicas, um pouco de imaginação e algumas idéias você faz quilts lindos, temos muito material revistas e livros nacionais e importados e também na internet podemos pesquisar muitos trabalhos.



Você pode fazer almofadas, colchas, cobre-leito, mantas de sofá, painéis de parede, roupas, pequenas utilidades para o lar, brinquedos e acessórios.

O patchwork e o quilt atualmente são uma ótima terapia onde podemos nos distrair e relaxar.

Links de sites e blogs de Patchworks e quilts.


Videos
1-










Eis aí minhas caras, a minha contribuição.

Por agora é o que temos.
Uma semana abençoada a todas (os)!

2 comentários:

Blogueira Unidas - Oficial disse...

Oi amiga querida!
Parabéns pela MARAVILHOSA E COMPLETÍSSIMA postagem!

Obrigada por participar de nosso desafio!

**Que tal fazer uma postagem nos contando sobre o concurso. Já estou torcendo pelo teu SUCESSO.

TENHA UMA SEMANA ABENÇOADA!
BEIJOCAS!

Gislaine disse...

Lindos seus trabalhos sou das blogueiras unidas meu n°1375 parabenizo pelo lindos trabalhos e que Deus te abençoe estou te seguindo.Beijinhos