Seguidores

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

"Igualdade Racial é pra Valer"-André Luiz Ver.


André Luiz Página Aberta entrevista Ministra SEPPIR.wmv


André Luiz entrevista a Ministra da Iguadade Racial Luiza Bairros durante lançamento da campanha "Igualdade Racial é pra Valer" em Ribeirão Preto 
Adicionado em: 20 jun 
Duração: 15:00 

Ver esse vídeo no YouTube 
Deixar um scrap para André 

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Feliz idade Nova a Caio André Piccolotto







Feliz Idade Nova para o meu querido amiguinho Caio André Piccoloto, que reune os amigos e familiares para comemorar mais um ano de vida!
Desejamos a voce meu querido Caio votos de felicidades plenas juntamente com todos os que te amam.




Parabéns Caio André!
Parabéns Clovis e Kika pelo filhão lindo!

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Organize-se!


 Os 11 Mandamentos  pra ter uma vida Organizada , Eficiente e Feliz

1. Mantenha sua Pia Limpa e Brilhando.

2. Vista-se toda manhã, mesmo que você não sinta vontade. Não esqueça de colocar os sapatos (de amarrar).

3. Faça suas Rotinas da Manhã e as Rotinas da Noite (aquela antes de ir para a cama) todos os dias.

4. Não deixe o Computador te distrair(Ops!!!).

5. Observe as suas atitudes. Se você tirou algo do lugar, coloque de volta.

6. Não tente fazer dois projetos de uma vez. UM TRABALHO POR VEZ.
 
7. Não tire para fora coisas que você não pode devolver em menos de 1 hora.

8. Faça alguma coisa por você todos os dias. Talvez a cada manhã ou noite.

9. Trabalhe o mais rápido que você puder. Isto te dará mais tempo para se divertir.

10. Sorria, mesmo quando você não estiver disposta. Um sorriso é contagioso.
 Faz sua mente ficar feliz e você será feliz



11. Não esqueça de rir (gargalhar) todos os dias. Mime-se. Você merece isso!!!

Feliz Idade Nova William Rufino!




A familia Rufino da João  Miotto, 



reuniu-se  aos parentes e amigos ontem para comemorar o aniversário do seu amardo William que completa hoje 15-11 mais um ano de vida.

 AoJovem Will que vimos crescer,desejamos os melhores votos de felicidades!

 Ao casal Arnaldo e Isabel, os nossos parabéns, pelo belo e simpático filhão!

Que Jesus os abenções sempre e sempre, conservando a harmonia  e alegria familiar!





Recados Online
Lindo vídeo para enviar para seus amigos no orkut com mensagem de Feliz Aniversário.


segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Dia Mundial do Diabetes





Diabetes causa uma morte a cada dez segundos em todo o mundo, alerta federação


Carolina Pimentel
Repórter da Agência Brasil

Brasília – Estima-se que haja, pelo menos, 300 milhões de pessoas com diabetes em todo o mundo, e no Brasil, são cerca de 11 milhões de portadores, segundo dados do Ministério da Saúde e de sociedades médicas.

No Dia Mundial do Diabetes, lembrado hoje (14), o foco da campanha global, pelo terceiro ano seguido, é orientar a população para prevenir a doença, que mata uma pessoa a cada dez segundos no mundo - conforme estatística da Federação Internacional de Diabetes, ligada à Organização Mundial da Saúde (OMS).

O desconhecimento sobre o que é a doença, os sintomas e o tratamento tem sido um dos obstáculos para conter essa epidemia global. A própria federação internacional estima que metade das pessoas não sabe que tem diabetes.

Apesar de muitos brasileiros terem um parente ou amigo com a doença, parte deles não sabe como evitá-la. “Muitos têm contato, mas não conseguem ajudar a pessoa próxima [com a doença]. E ficam incapazes de prevenir nelas mesmas”, alerta o vice-presidente da Sociedade Brasileira de Diabetes, Walter Minicucci.

O diabetes tipo 2, que atinge mais pessoas, ocorre quando há aumento da taxa de açúcar (glicose) no sangue. Os sinais mais comuns são a sede excessiva, a perda de peso, a fome exagerada, a vontade de urinar muitas vezes, a difícil cicatrização de feridas, a visão embaçada, o cansaço e infecções frequentes. Alguns dos fatores de risco são a obesidade, o sedentarismo e o histórico familiar com casos da doença.

A prática de exercícios físicos e a alimentação equilibrada ajudam a evitar o diabetes tipo 2, que não tem cura.

Quando o diabetes não é tratado, aumenta o risco de o paciente ter um ataque cardíaco, ficar cego ou sofrer amputação de uma perna.

sábado, 12 de novembro de 2011


A proposito das resoluções tomadas pela nossa Presidenta Dilma, referente a Saúde dos Brasileiros, achei interessante transcrever cá, algumas informações importantes a respeito do assunto, afim de que os queridos leitores, possam entender o que acontece no universo da Medicina em nosso país, e como se enquadra as propostas da nossa Presidenta.
Encontrei este artigo, muito bom por sinal no site abaixo, e transporto parte dele, sendo que os interessados poderam se inteirar na íntegra acessando o link do site  Brasil Medicina.


Educando os médicos para a saúde no Brasil


O cenário internacional: Saúde para Todos

A Conferência Internacional sobre Atenção Primária à Saúde, organizada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em Alma-Ata (antiga URSS), em setembro de 1978, estreava o conceito de “Saúde para todos”, convocando todos os países do mundo – desenvolvidos ou não – para revisar os seus sistemas de saúde, tornando-os acessíveis à população, como direito básico do cidadão. 


Destaca-se a atenção primária como a porta natural de entrada para a saúde – o primeiro contato, do qual se deve esperar competência e resolução dos problemas apresentados. As políticas de saúde têm a missão de preparar o cenário profissional e as instituições formadoras – a universidade, no caso dos médicos – devem preparar o profissional para tal mister. A resposta acadêmica para a formação Dos médicos generalistas tem variado nos anos subseqüentes à Conferência Internacional sobre Atenção Primária à Saúde. 


Enquanto em alguns países as recomendações da Conferência vieram ao encontro do já iminente crescimento de especialidades voltadas à atenção primária, como é o caso da Medicina de Família, em outros a demanda de profissionais com este perfil desejado ficou desatendida. O motivo é simples: as escolas e faculdades de medicina continuaram focadas na formação de especialistas por estarem alicerçadas no paradigma educacional onde a qualidade do médico está tradicionalmente atrelada ao seu preparo como especialista. A história da educação médica do século XX, onde a procura da excelência caminhou para a especialização, saneando a pro fissão de práticas médicas inadequadas, oferece uma explicação para esta falta de resposta acadêmica. Uma vez atingido um nível de qualidade científica através da especialização, é mais seguro permanecer instalado no mesmo do que se aventurar por novos caminhos que, por serem desconhecidos no ambiente acadêmico, podem vir em detrimento da qualidade. A falta de resposta faz sentido, se entende, mas no momento presente não se justifica. 

E requer uma reflexão. Criar um novo modelo de médico, com capacidade. Para resolver com competência 90% dos problemas surgidos na atenção primária, com habilidades de prevenção em saúde, capaz de cuidar de todos os indivíduos independentemente do sexo, idade, condição social e da patologia que lhes afete, em atenção continuada, abrangente, coordenando os componentes biopsicossociais, integrando cada indivíduo no contexto da sua família e comunidade, sendo ao mesmo tempo um educador em saúde, requer verdadeira mudança de paradigma educacional no ambiente acadêmico. Esta é, justamente, a missão da Medicina de Família como disciplina acadêmica, e a Organização Mundial dos Médicos de Família (Wonca) sente-se chamada a colaborar. A partir de 1980, inicia-se uma estreita colaboração entre a Wonca e a Organização Mundial da Saúde (OMS), que culminou numa reunião histórica em 1994, em Ontário, Canadá, e resultou na elaboração de um documento conjunto voltado para tornar a prática e a educação médica mais relevante para as necessidades.
Das pessoas e a possível contribuição do médico de família. Aponta-se a necessidade de implantar a Medicina de Família como disciplina acadêmica nas faculdades de medicina. Propõe-se a figura do médico de família como um dos autores principais da proposta “Saúde para toda”, colocada pela OMS há 25 anos. Estimula-se a formação de um profissional com alta competência para cuidar dos pacientes e saber integrar com perfeição os cuidados individuais com os coletivos. 

Cuidar da pessoa, para poder cuidar da família e da comunidade. É de todo ponto evidente que o impacto da Medicina de Família, quando incorporado num sistema de saúde, faz diferença nos resultados da atenção primária à saúde .(...) Medicina de Família para o Brasil: fundamentação acadêmica para vencer os desafios
A especialização, vista como necessário complemento à formação acadêmica, é para a maioria dos que se graduam o caminho natural do desempenho profissional. Perante esta perspectiva, fomentada pelas escolas médicas, torna-se necessário pensar quem são os médicos generalistas que atuam no Brasil. Se a maioria dos estudantes almeja especializar-se (já que é isso que eles vêem, vivem e respiram nas escolas médicas), qual espaço real existe para alguém querer ser generalista? Temos um universo variado de profissionais atuando no campo da medicina generalista. Alguns, poucos, por verdadeira opção, por vocação profissional; outro s, muitos, porque simplesmente não conseguiram especializar-se; e, finalmente, outros que possuindo um importante papel como articuladores de estratégias de saúde populacional têm de vir a preencher um vazio que é, na prática, mais necessitado de mão de obra do que de ação política. 

Seja qual for a origem dos que de fato praticam a medicina generalista, uma realidade é inegável: o desamparo em que se encontram. A ausência de referenciais de qualidade que venham implementar Programas de Educação Médica Continuada, bem como a falta de um planejamento de certificação que avalie e valide a qualidade destes pro fissionais e, finalmente, a omissão das instituições universitárias para assumir um compromisso real nesta formação coloca o médico generalista no sério risco de tornar-se um profissional de segunda categoria. A questão é grave, pois todos os esforços realizados para tornar o acesso à saúde um direito para todos os cidadãos apóia-se neste profissional. Ele é o verdadeiro protagonista da atenção primária à saúde. A afirmação da identidade da Medicina de Família como especialidade passa necessariamente por sua progressiva inserção universitária como disciplina acadêmica.

 A instalação universitária torna transparentes os valores desta especialidade, conferindo-lhe a credibilidade devida e permitindo a prática – clínica e educacional – dos novos paradigmas que propõe. Deste modo, é possível assumir um posicionamento que leva a falar de igual para igual com as outras especialidades médicas, em paridade de competências, sabedora de possuir um corpo próprio de conhecimentos, uma metodologia específica e linhas de pesquisa peculiares. Não mais nem menos importantes do que as das outras áreas do saber médico; apenas algo que lhe é inerente, que é objeto do seu conhecimento, terreno específico de ação médica e o quotidiano do médico de família. Construir este novo paradigma, com atuação própria nos currículos de graduação e pós graduação do curso médico, torna possível vocacionar os estudantes, futuros médicos, para esta opção profissional. Uma vocação que desperta ao contato com modelos reais, com médicos de família que possuam respeitabilidade acadêmica e que ensinam praticando atenção primária com resolubilidade e competência. É óbvia a dificuldade de se pretender recrutar profissionais para uma especialidade ausente na escola médica. 

Simposio de divulgação da especialidade
A inserção acadêmica da Medicina de Família catalizará as lideranças presentes nos estudantes, conquistando prestígio entre os próprios acadêmicos, e poderá responsabilizar-se pela educação continuada de todos os que atuam na atenção primária, garantindo a qualidade dos pro fissionais e avaliando os processos de certificação. O envolvimento dos estudantes de medicina com a Medicina de Família, tem sido crescente nos últimos dez anos, mediante um trabalho de formação continuada, de caráter não-curricular. Importantes questões emergem do trabalho em Medicina de Família com os a c a d ê m i c o s. Assim, a motivação do estudante e a reflexão vocacional, a visualização do professor como exemplo de aprendizado, a inserção precoce do aluno no atendimento ao paciente com acompanhamento longitudinal, at u a n d o como elemento integrador das disciplinas curriculares, transformando o aluno em professor de outro aluno, fomentando os esquemas de comunicação e preparando futuros professores são opor unidades excelentes a serem aproveitadas. 


O Médico da Familia existe em todas as culturas
As dificuldades que a Medicina de Família se defronta para instalar-se com credibilidade no Brasil guardam analogia com as que outro s países têm enfrentado. Utilizar a experiência internacional é medida de prudência e garantia de maior eficácia na implementação dos Programas de Educação Continuada, Certificação da Especialidade e de Qualidade Acadêmica que leva à necessária preparação dos professores da disciplina aproveitando a experiência do médico de família como educador e pro motor de sua própria especialidade. As oportunidades oferecidas no atual cenário brasileiro são favoráveis e talvez únicas. A Medicina de Família depara-se com terreno fértil para o seu crescimento. Melhorar a qualidade de vida e a saúde de nossa população é desejo que deve pro mover a união de forças para vencer os desafios.

Prof. dr. Pablo González Blasco
Doutor em Medicina e diretor científico da Sobramfa -
Sociedade Brasileira de Medicina de Família

Cynthia Haq, MD
Professora de Medicina de Família, diretora da Graduação Médica e de Saúde Internacional da
Universidade de Wisconsin, colaboradora da Sobramfa e consultora da OMS/Wonca para
Projetos internacionais em Medicina de Família

Joshua Freeman, MD
Professor titular do Departamento de Medicina de Família da Universidade de Kansas, colaborador
da Sobramfa e pesquisador da Fulbright no Brasil

Marco Aurélio Janaudis
Secretário-geral da Sociedade Brasileira de Medicina de Família



Veículo: Sociedade Brasileira de Medicina de Família

"A responsabilidade das informações educativas apresentadas nas páginas desse site é exclusiva dos seus autores. A reprodução, total ou parcial, dessas informações é permitida, desde que seja citada a fonte editora, seu local original de publicação (brasilmedicina.com) e não sejam incluídas em textos de divulgação com finalidades publicitárias que ferem as normas do CODAME publicado pelo Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo."


BrasilMedicina.com.br 2001© - Todos os Direitos Reservados
www.brasilmedicina.com.br.

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Falsas vendedoras de casas da CDHU são detidas

Moradores dizem ter pagado até R$ 6 mil para "furar fila" em sorteios de casas populares






(...)Ainda, de acordo com o promotor, serão levantados dados que possam identificar as pessoas beneficiadas. “Vamos saber quantas casas foram entregues, para quem foram entregues e com esse cruzamento de dados é possível identificar as pessoas beneficiadas”.
Segundo Silveira, existem outras investigações nesse sentido. “Temos recebido recorrentes denúncias desse tipo de irregularidade. Acreditamos que possa existir mais coisas do que foi noticiado até agora”.
CDHU
O gerente regional da CDHU, Milton Vieira de Souza Leite, não acredita que funcionários da companhia estejam envolvidos nessas denúncias. Segundo ele, os nomes dos contemplados com as casas saem no Diário Oficial, o que impossibilita qualquer irregularidade.

Violencia contra idosa resulta em morte


Quinta, 10 de Novembro de 2011 - 00h12

Idosa de 74 anos sofre espancamento em Ribeirão

Polícia também apura se vítima foi estuprada; dinheiro da aposentadoria, sacado esta semana, foi levado

Jucimara de Pauda
Foto: Tiago de Brino / EspecialMoradores da região disseram que idosa era amiga de todas as pessoas e ficaram com medo após saber do crime
A aposentada Nilda Rosa de Jesus, de 74 anos de idade, foi espancada na madrugada
de quarta-feira, no bairro Maria Casagrande Lopes. A Polícia Civil ainda não tem pistas de quem cometeu o crime.





Ela foi encontrada pela nora na manhã desta quarta-feira (9) deitada na cama, sem a bermuda, com hematomas no corpo e a cabeça muito ferida. A polícia também não descartou a hipótese de ela ter sido estuprada pelos invasores da casa.
"Ela estava cheia de sangue e o perito disse para a gente que entraram na casa dela entre meia-noite e duas horas da manhã", diz Aparecida de Fátima Souza, filha de Nilda.
Ela acredita que os ladrões levaram cerca de R$ 1 mil que a mãe recebeu de aposentadoria no início da semana. "As gavetas estavam abertas e o dinheiro sumiu", afirma.
O caso é investigado pela Delegacia da Defesa da Mulher que vai aguardar laudo da perícia para saber se a aposentada foi estuprada durante o roubo.
Do lado da cama dela, foi encontrado um banquinho cheio de sangue que foi apreendido pelos policiais. Tudo indica que os ladrões usaram o móvel para bater na cabeça de Nilda.
Uma porção de maconha e uma blusa de frio, que não pertencia a vítima, foram encontrados no local. Há indícios que os ladrões pularam o muro e entraram pela porta da cozinha que foi encontrada aberta. A porta da sala estava fechada. "Estamos averiguando o caso e apenas o laudo vai poder dizer se ela foi estuprada ou não", explica a delegada Maria Beatriz Moura Campos.
O caso assustou os vizinhos que moram na rua professora Adorama Maria, no Maria Casagrande. "Não escutamos nada, mas estamos com medo porque foi muita maldade", afirmou uma senhora que conhece Nilda e não quer revelar o nome. Os moradores disseram que ela mora há vários anos no bairro e é querida. "Ela não tem inimizade com ninguém", afirma outra moradora. A vítima foi internada no Hospital das Clínicas.

 As famílias do jardim Maria Casagrande Lopes, e dos bairros vizinhos estão de Luto, pela morte da senhora Nilda de souza, ocorrida após ter sua casa invadida, ser covardemente espancada e violentada e roubada por desconhecido.

Estamos todos indignados  assustados e entristecidos com tamanha violencia e desrrespeito para com nossos idosos. Não é a primeira vez que crimes desse teor acontece em nossa cidade.
Nós que aprendemos a tratar com carinho protetor aos mais velhos, não podemos silenciar com um fato desses.
Solidarizamo-nos com os familiares de dona Nilda, e torcemos que as autoridades policias consiga o mais breve possivel, desvendar este crime, e que a justiça puna o autor de tamanha brutalidade.

Que dona Nilda, possa ser  acolhida na patria espiritual, pois sabemos que a Vida é Eterna!. Receba nossas melhores vibrações  de paz!  





- 0

Polícia prende suspeito de espancar e estuprar aposentada

Mulher foi atendida no Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto, mas morreu nesta sexta-feira (11)

11/11/2011 - 18:00

A Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de Ribeirão Preto prendeu na manhã desta sexta-feira (11), um jovem de 24 anos, suspeito de ter espancado e roubado uma aposentada de 76 anos, na bairro Maria Casa Grande, zona norte da cidade. O crime aconteceu na última quarta-feira (9) e, de acordo com a polícia, Washington Mendes de Oliveira pode ter estuprado a idosa, antes de agredi-la com um banco de madeira.
Nilda Rosa de Jesus, foi encontrada pela nora dentro de casa, deitada na cama, sem a bermuda, com hematomas no corpo e a cabeça ferida. Ela foi encaminhada para o Hospital das Clínicas de Ribeirão, mas não resistiu aos ferimentos. "Estamos aguardando o resultado dos exames para confirmar se ela foi estuprada ou não", diz a delegada Maria Beatriz Moura Campos.
Em depoimento, Washington Mendes de Oliveira afirmou que é viciado em cocaína e que havia feito uso da droga momentos antes do crime. Ele furtou R$ 400 da vítima.
O jovem está detido na DDM e responde pelo crime de latrocínio – roubo seguido de morte.
 


terça-feira, 8 de novembro de 2011

Tarifa Social de Energia Elétrica


Tarifa Social de Energia Elétrica



A Tarifa Social de Energia Elétrica é um benefício criado pelo Governo Federal. É um desconto no pagamento  da conta de energia elétrica para famílias de baixa renda, cujos domicílios consomem até 220 kWh de energia por mês.

O desconto é oferecido aos domicílios que estão em duas faixas de consumo:
Domicílios que consomem mensalmente até 80 kWh.
Se a média de consumo de energia do domicílio for menor que 80 kWh, baseada nos últimos 12 meses e não apresentar mais de uma conta superior a 120 kWh,  o benefício será gerado automaticamente, isto é,  o desconto na tarifa será dado independente da renda de seus moradores;
Domicílios com consumo mensal na faixa entre 80 kWh e 220 kWh.
Se a média de consumo de energia do domicílio estiver entre 80 e 220 kWh, baseada nos últimos 12 meses, o benefício será concedido apenas às famílias que apresentarem renda familiar mensal de até R$ 120,00 por pessoa e estiverem inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais - CadÚnico.
Média é a soma do consumo de cada mês, dividido pelo número de meses.


Antes, as famílias informavam diretamente à concessionária de energia elétrica a sua renda familiar para fazerem parte da Tarifa Social e receberem o desconto na conta de energia elétrica. Essa autodeclaração realizada pelas famílias de baixa renda, deixou de ser aceita e a inscrição no CadÚnico e a declaração da renda familiar de até R$ 120,00 passaram a ser obrigatórias.



CadÚnico Cadastro Único - Fique Sabendo!


Nos  dias atuais, convivemos constantemente com Siglas, é uma forma resumida de informações. O importante é estarmos sempre atentos ao que acontece , para não perdermos o '"Trem da História" . Então, vamos aprender mais um pouquinho e conhecer o ""CadÚnico"Cadastro Único para Programas Sociais - CadÚnico
 Vamos lá: >
O Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico) é um instrumento de coleta de dados e informações com o objetivo de identificar todas as famílias de baixa renda existentes no país, afim de incluí-las nos programas sociais do Governo Federal como o Bolsa Famíllia, Projovem Adolescente/Agente Jovem, Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti), Tarifa Social de Energia Elétrica e outros.
Além disso, o CadÚnico também é utilizado para conceder a isenção de pagamento de taxa de inscrição em concursos públicos realizados no âmbito do Poder Executivo Federal.

As informações contidas no CadÚnico podem ser utilizadas pelos governos municipais, estaduais e federal.

Quem pode se cadastrar?

Podem se cadastrar no CadÚnico as famílias que tenham renda mensal de até meio salário mínimo por pessoa.
Aquelas famílias que tenham renda superior a meio salário mínimo poderão ser incluídas no CadÚnico, desde que sua inclusão esteja vinculada à seleção ou ao acompanhamento de programas sociais implementados pela União, estados ou municípios.

Atenção: A inscrição no CadÚnico não garante a inclusão das famílias nos programas sociais. Após o cadastramento serão analisadadas as informações declaradas e, a partir daí, inicia-se o processo de seleção obedecendo aos critérios de cada programa específico.


Formas de Cadastramento

O cadastramento das famílias é de responsabilidade do município. O ideal é que seja feito por meio de visitas domiciliares, pois assim é possível verificar a real situação das famílias e indicar as candidatas aos programas sociais.
Entretanto, outros meios podem ser utilizados pelo município, como postos de atendimento permanentes ou ainda itinerantes, isto é, fixados num bairro por um período  para atender as demandas daquela região.

As principais informações das famílias cadastradas são:
características do domicílio (número de cômodos, tipo de construção, tratamento da água, esgoto e lixo);
composição familiar (número de componentes, existência de pessoas com deficiência);
identificação e documentação de cada componente da família;
qualificação escolar dos componentes da família;
qualificação profissional e situação no mercado de trabalho;
remuneração;
despesas familiares (aluguel, transporte, alimentação e outros).


Fique atento: Informe-se junto ao seu município sobre datas, locais e períodos de atendimento, para realização do cadastro.




Documentos:
Para se cadastrar no CadÚnico a família deve apresentar:
RG ou Certidão de Nascimento de cada membro da família;
CPF ou Título de Eleitor do responsável pela família;
Carteira de Trabalho (mesmo que esteja em branco);
Hollerith ou comprovante de renda;
Comprovante de despesas (como aluguel, água, luz).
Outros documentos poderão ser solicitados se necessário.
Fonte desta Noticia:

SOS EMERGÊNCIA
Hospital das Clinicas RP

Já o programa "SOS Emergência" tem como meta qualificar grandes hospitais de urgência e emergência no país. O ministério começa com 11 hospitais de referência e chegam a 40 até 2014. Cada um dos hospitais receberá anualmente R$ 3,6 milhões para ampliação e qualificação do atendimento. Há ainda uma verba adicional de até R$ 3 milhões por hospital para compra de equipamentos e reformas.
Hospital
Estadual de Ribeirao Preto

A ideia é criar comitês de qualidade nos hospitais para reformular e agilizar o atendimento, por exemplo. Seis hospitais de excelência no país vão colaborar com essa qualificação, entre eles o Sírio Libanês e o Albert Einstein, ambos em São Paulo.

"Queremos entrar em campo com os trabalhadores de saúde para apoiar quem quer fazer mudanças", disse Padilha.


Médico a Domicilho-presidenta Dilma Roussef


Dilma lança 'home care' e plano para qualificar hospitais






Terça-feira, dia 08 de Novembro de 2011 às 12:00hs
(Folha On Line)

A presidente Dilma Rousseff lançou nesta terça-feira, em cerimônia no Palácio do Planalto, os programas "Melhor em Casa", do SUS (Sistema Único de Saúde) e o "SOS Emergência".

Conforme a Folha antecipou na semana passada, o primeiro deles prevê atendimento domiciliar a pacientes que não precisam ficar internados --a intenção do governo é diminuir a demanda de atendimentos em hospitais.

Formadas por médicos, fisioterapeutas, técnicos em enfermagem e enfermeiros, 1.000 equipes de atendimento domiciliar serão formadas até 2014 --a previsão é de um investimento de R$ 1 bilhão. Estados e municípios devem fazer adesão ao programa, já que tais equipes serão contratadas pelos gestores locais.

"Esse é um aprendizado da medicina nos últimos anos: nós aprendemos no dia a dia, percebemos que alguns dos procedimentos que tradicionalmente são realizados dentro dos hospitais poderiam ser realizados dentro de casa com melhor resultado, (...) vendo a pessoa como ser humano", afirmou o ministro da Saúde, Alexandre Padilha.

A iniciativa poderá ter como resultado, por exemplo, a redução de infecções hospitalares, destacou o ministro. Segundo ele, o ministério ficará responsável por todas as despesas do programa. Ainda neste mês, 110 equipes serão cadastradas - a média de atendimento mensal de cada uma delas é de 60 mil pacientes.

O ministro da Saúde anunciou ainda a assinatura de portaria com o Ministério de Energia que prevê isenção total de tarifa de energia em residências onde existam equipamentos médicos que necessitem de eletricidade.
O que é o home care.




O Home Care deve ser compreendido como uma modalidade contínua de serviços na área de saúde, cujas atividades são dedicadas aos pacientes/clientes e a seus familiares em um ambiente extra-hospitalar.
O propósito do Home Care é promover, manter e/ou restaurar a saúde, maximizando o nível de independência do cliente/paciente, enquanto minimiza os efeitos debilitantes das várias patologias e condições que gerência.
Este tipo de serviço é direcionado não somente aos pacientes, como também, de forma diferenciada, aos seus familiares em qualquer fase de suas vidas; seja para aqueles que aguardam seu restabelecimento e retorno às suas atividades normais, ou para os que necessitam de gerenciamento constante de suas atividades como também, para pacientes que necessitam de acompanhamento em sua fase terminal.


No gerenciamento desses serviços devem ser usados critérios técnico-científicos e as decisões devem ser baseadas no melhor nível de evidência clínica possível, para cada procedimento. Essa prática é necessária em função da complexidade do meio ambiente do paciente, dos tipos de cuidados médicos exigidos, dos recursos, das condições psico-físicas do cliente/paciente e das patologias à serem gerenciadas.
Edvaldo de Oliveira Leme, R.N.C.


sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Agentes de Saude Comunitária, parabéns pelo seu Dia!


Esse é o profissional da saúde que vai de casa em casa, levando orientações e prevenindo doenças.

Hoje, 4 de outubro, saudamos os agentes de saúde de Ribeirão Preto  e da região. 
O exercício da atividade profissional de Agente Comunitário de Saúde é com base na Lei nº 10.507/2002, que criou a profissão de Agente Comunitário de Saúde e no Decreto nº 3.189/1999, que fixou as diretrizes para o exercício da atividade de Agente Comunitário de Saúde, e ainda a Portaria nº 1.886/1997 (do Ministro de Estado da Saúde), que aprovou as normas e diretrizes do Programa de Agente Comunitário e do Programa de Saúde da Família.






Equipe de Agentes de Saúde Comnuitário  da UBSF Che Guevara


Gerente: Dr. Umberto
Alexandra R. M. Neves – Agente  Comunitário de Saúde
Hosana Maria da Silva Pereira – Agente Comunitário de Saúde
Isabel Cristina Mata Ordiales – Agente Comunitária de Saúde
Luci Belizário da Silva – Agente Comunitário de Saúde
Luciana Batista do Nascimento – Agente Comunitário de Saúde
Madalena Gonçalves Santos -  Agente Comunitário de Saúde
Norma Lucia Rodrigues Machado – Agente Comunitário de Saúde
Tatiane Greice da Cunha Silva – Agente Comunitário de Saúde

Parabéns pelo trabalho importante para a saúde das famílias!